14 de fev de 2009 18:06 - :: ultranol ::

Timelines v1.3

Fiz algumas melhorias no sistema de timelines:
  • Coloquei finalmente uma função para quem esqueceu a senha. Coloca o seu e-mail bonitinho na caixinha e recebe a senha (e também o código numérico). É só entrar na página principal, aonde você faz o acesso aos seus dados, e tem um link embaixo, "recuperar senha".
  • Coloquei um campo "blog", pra quem tiver um, informar. Às vezes queremos ter mais detalhes do porquê da demora de alguma das etapas, e se a pessoa tiver blog, fica fácil de entender. Visualizando as timelines, se a pessoa tiver um link no nome dela, esse link levará para o seu blog.
  • Coloquei uma opção para a pessoa excluir sua timeline. O pessoal dos processos após 02/2008 começaram a receber cartas solicitando a documentação necessária, e o pessoal que não passou pela nova peneira já está recebendo a devolução das taxas. Seria interessante que essas pessoas excluíssem suas timelines pois infelizmente não estão mais fazendo parte do processo.

Marcadores:

12 de fev de 2009 09:22 - :: ultranol ::

Brincando de matemática

Na época da última eleição americana, fiquei vidrado num site chamado FiveThirtyEight, que coletava informações de todas as pesquisas de opinião que eram publicadas e tentava prever o que iria acontecer no dia quatro de novembro. Chegaram muito perto: no mapa dos estados, erraram somente Indiana e o segundo distrito de Nebraska; no voto popular, ficaram a 1% de distância da realidade; acertaram todas as disputas do Senado.

Às vezes eles pegavam números de pesquisas acessórias, como por exemplo, como estava indo o registro dos votantes, e discutiam as tendências, argumentando as implicações daquele fato no tema principal que era a eleição.

Vou tentar fazer isso aqui hoje. Peguei do sistema das timelines as datas de pedidos de exames médicos desde o início do processo simplificado e fiz um gráfico, tentando encontrar uma lógica na frequência desse evento.



Peguei o número de pedidos de exames feitos em cada semana e agrupei. A linha do tempo mostra os meses pra ficar mais fácil de ver.

Fiquei uns três dias tentando domar o Excel pra fazer isso.

Só faltou agora essa porcaria ter alguma lógica. Vejam que os meses do ano não repetem a frequência, por exemplo, houve um pedido de exames em 10/2007 mas não teve nenhum em 10/2008. Em novembro e dezembro de 2008 teve uns 6 pedidos, no ano anterior teve um só. Também não existem períodos cíclicos de pedidos e de falta de pedidos: primeiro temos um pedido por mês, depois tem um período de um mês com um monte de pedidos, mais um mês com um monte de pedidos, depois um mês e meio sem pedidos, e assim vai...

Marcadores:

6 de fev de 2009 13:58 - :: ultranol ::

Why would we leave such an adorable place?

Hey, you that have left Brazil in order to live in Canada! How are you? I hope everything is OK!

I'm writing you to give you a feel of what's going around here. If you were from Rio de Janeiro, be prepared to miss home after all this time that you've been outside the "wonderful city".

See, we have all kinds of good stuff here. We have a lot of fast-food chains. One of them offers all sorts of Middle-Eastern food. It's fantastic! And being in Brazil, you'll have a blast (no pun intended) while you're eating there.

To catch a glimpse, please click here. There are beautiful photos showing yesterday's party - and by beautiful I really mean gruesome.

I mean, come on! Who wouldn't want to live in such a Grand Theft Auto-like environment? It's always on. It's like a 24h adrenaline rush.

Gente, pra vocês terem uma idéia aonde fica esse Habib's, ele fica a três quarteirões de onde a gente estava morando há um ano atrás. Essa é a Vila da Penha, um bairro emergente da Zona Norte, com vários lançamentos imobiliários, shopping, metrô, etc.

É difícil pra eu entender quando vejo que pessoas criam filhos nessa cidade por pura opção.

UPDATE: esqueci de passar pra vocês a fonte da reportagem, que é d'O Globo. Aliás, quando até o maior jornal do país começa a perder o pudor de mostrar imagens desse tipo...

E eu fiz um esqueminha pra esconder as fotos, elas são meio fortes.

Marcadores:

2 de fev de 2009 17:54 - :: ultranol ::

Arranjar emprego... SP vs RJ

Conforme os que acompanham o blog sabem, nós saímos do Rio de Janeiro indo para o interior de São Paulo. Não fazia parte dos nossos planos inicialmente, mas é o que aconteceu após o prazo inicial do Consulado ter furado - se os 16 meses tivessem se cumprido, estaríamos com o visto no último dia 17 de janeiro. A cidade tornou-se inabitável pra nós (principalmente para mim) e resolvemos ficar um tempo num lugar melhor para podermos comparar o Canadá com um lugar razoável, pois comparar Toronto com Rio de Janeiro é sacanagem.

Para poder fazer a mudança, obviamente nos livramos de muitas coisas, o que foi bom. Nem consigo imaginar agora como seria tentar colocar uma casa mobiliada em três malas, na hora da imigração. Nossas tralhas agora cabem em três carros.



Nossa frota veicular é mais ou menos isso aí. Fazemos também mudanças para o Nordeste e todo o interior de Minas Gerais.


Outra coisa da qual precisamos nos livrar foi nossos empregos. Visto que o visto (com trocadilho, por favor) pode chegar só no fim do ano, se chegar, precisei procurar outro emprego, agora, aqui em SP.

A busca por empregos, que achava que ia durar no máximo quinze dias, ainda não acabou. Vagas, existem aos montes. A questão é que o processo de arranjar trabalho em São Paulo é absolutamente diferente que no Rio de Janeiro.

Rio de Janeiro

Em seis anos morando nessa cidade, passei por seis empregos. Foram obviamente seis entrevistas, no mínimo. Além das que tive sucesso, devo ter feito aproximadamente mais uma entrevista mal-sucedida para cada uma das bem-sucedidas. O processo todo se resume a basicamente isso:
  1. Respondo a anúncio em site de empregos, mandando o meu currículo e um texto resumindo minhas qualificações, quando solicitado.
  2. Após algum tempo, entre um dia e uma semana, no máximo, alguém liga, faz algumas perguntas e marca uma entrevista para o dia D (obviamente não estou contando as pessoas que não gostaram do meu currículo e não me ligaram).
  3. Compareço à entrevista no dia D, que não passa de uma conversa com a pessoa responsável, a respeito das minhas capacidades e dos conhecimentos necessários para a oportunidade, e que eventualmente é acompanhada do preenchimento de um formulário com dados cadastrais e uma prova relacionada aos requisitos para a vaga.
  4. Se não passar na prova, ou não gostarem da entrevista, às vezes não recebo resposta. Caso contrário, recebo uma ligação após alguns dias, também, no máximo, uma semana, informando que passei e quando começo no novo emprego.


Um processo seletivo direcionado para humanos, daqueles que respiram ar e bebem água.


São Paulo

Estou procurando emprego na cidade há um mês e pouco. Na época que estava saindo do Rio, consegui marcar três entrevistas entre o Natal e o Ano Novo, e com isso fiquei animado, pois imaginei que para uma semana morta como essa, três entrevistas era um bom número.

A primeira entrevista foi normal, para os padrões os quais eu estava acostumado (RJ), teve a conversa, um formulário e uma prova. Junto com a prova, veio um negócio estranho. Um formulário que era pra eu marcar se eu era uma pessoa colaborativa, se eu gostava de liderar, não sei quê, depois pra eu dizer cinco qualidades minhas, cinco defeitos... achei meio estranho, mas pensei, esse processo deve ser diferente...

Porém, na outra entrevista que fiz, vi que o errado era eu: foi dado para mim uma folha sulfite para eu fazer uma redação de 30 linhas. Em letra cursiva. Não escrevo em letra cursiva há o quê, 15 anos? Pois bem. Comecei a escrever e notei que não havia borracha disponível. Levantei e fui pedir uma borracha. "Não é para apagar", disseram. "Se você errar, é pra rasurar e continuar". Rasurar. A lápis.

Indagando a entrevistadora, ela informou que iriam mandar a redação para ser analisada por grafologistas. É brincadeira? Deu vontade de responder, "olha só, meu signo é Capricórnio e meu nome somado dá 3, caso você queira levar meu perfil para uma astróloga, também".



Nessas horas dou graças a Deus por sempre levar comigo uma cópia do meu mapa astral.


Até agora, passei por:
  • 6 formulários com dados cadastrais;
  • 4 provas;
  • 2 complicados conjuntos de formulários tentando "mapear" minha personalidade, do tipo, "dê nota para sua organização", "sempre dou feedback para meus subordinados", etc;
  • 10 entrevistas, sendo que
    • 2 delas tiveram "questões de prova", apesar já ter sido aplicada prova no mesmo processo seletivo;
    • 4 delas tiveram longos períodos de discussão sobre minha personalidade, nos moldes dos formulários acima;
    • 1 delas foi feita totalmente em inglês;
  • 5 redações sobre minha carreira profissional, sendo duas delas em inglês.
Eu gostei das coisas que rolaram em inglês, pois em todas elas tive retorno positivo. Porém, essa diferença cultural em processos seletivos do Rio e de SP me deixou com a impressão que os recrutadores paulistanos ou são extremamente profissionais ou absurdamente burocráticos. O mais comum é eles separarem a entrevista com a prestadora de serviços, com a qual terei o vínculo, a prova técnica e a entrevista com o cliente final em três ocasiões diferentes. Pra quê isso?

Abaixo comento mais algumas pérolas:
  • Uma das entrevistas chegou ao seguinte nível:
    - O que você gosta de fazer no seu tempo livre?
    - Ah, sou um cara caseiro, gosto de ver um filme, ficar na Internet, jogar...
    - Que tipos de jogo você gosta?
    O quê, dependendo do tipo do jogo eu tenho mais chance de conseguir o trabalho? Fiz um grande esforço pra não responder: "sabe aquele jogo que o cara fica doido na entrevista por emprego, puxa duas metralhadoras e sai matando todo mundo?"



"É que nem esse aqui, mas ao invés de um monstro idiota, é um gerente de RH idiota."

  • Uma das entrevistadoras respondeu meu anúncio simplesmente quinze dias após eu mandar o currículo. Durante a entrevista, ela me diz o seguinte: "a gente está com muita urgência em preencher essa vaga, o mercado tá precisando muito de gente como você, e é um profissional difícil de conseguir..."

  • Outro caso foi uma prova que eu fiz e após 30 dias recebi a resposta que eu passei. Aparentemente a prova foi tão difícil que ninguém conseguia corrigir! Durante a entrevista, a mesma coisa: "estamos com urgência pra preencher essa vaga, blá blá blá..."

  • Na verdade, a urgência para preencher a vaga foi assunto de várias das entrevistas. Puxa, não parece! Estou há um mês de bobeira em casa... podia estar trabalhando!
É claro que eu conto isso tudo mais pra tirar sarro da situação do que como se eu estivesse muito revoltado. Mesmo assim, estar desempregado é sempre um "setback", mas eu vejo que isso está sendo uma grande lição. É uma sensação muito ruim não ter um emprego, ficar de bobeira sabendo que o dinheiro só está saindo e não está entrando, mas eu tenho que saber lidar com isso, pois estou fazendo tudo o que posso. As coisas não são sempre como eu imagino, e não acontecem no tempo que eu imagino. Fico pensando, como seria se eu ficasse um mês lá em Toronto nesse mesmo ritmo, talvez achando que o problema fosse eu e meu currículo... eu passei na pele um pouco do que o pessoal fala, que em outro lugar, o mercado de trabalho é diferente. Se em 400 Km existe tanta discrepância, imagina em dezenas de milhares de quilômetros!



Mudando um pouco de assunto, essa semana houve alguns pedidos de exames médicos. Nesses tempos bicudos, qualquer pedido de exame médico é um ótimo sinal. Já entraram no mês de abril/2007. Maio, junho, julho, agosto! Quatro meses! Parece tão perto e ao mesmo tempo, tão longe...

Marcadores:

05/06/2007 Marcação do IELTS
16/06/2007 Exame IELTS
29/06/2007 Resultado do IELTS
07/08/2007 Envio do formulário ao Consulado
13/08/2007 Início do processo
17/08/2007 Confirmação do início do processo (carta)
21/08/2007 Inclusão no sistema (e-CAS)
03/03/2008 Solicitação dos documentos (e-mail)
27/03/2008 Envio dos documentos
19/05/2009 Pedido de atualização de documentos (e-mail)
23/05/2009 Pedido de exames médicos (carta)
29/05/2009 Envio dos exames médicos
17/06/2009 Solicitação dos passaportes e pagamento da taxa final (carta)
18/06/2009 Entrega dos passaportes no Consulado
22/06/2009 Recebimento dos passaportes com visto
13/07/2009 Chegada a Toronto
Junho 2007
Julho 2007
Agosto 2007
Setembro 2007
Outubro 2007
Novembro 2007
Janeiro 2008
Fevereiro 2008
Março 2008
Abril 2008
Maio 2008
Junho 2008
Julho 2008
Agosto 2008
Setembro 2008
Outubro 2008
Novembro 2008
Dezembro 2008
Janeiro 2009
Fevereiro 2009
Março 2009
Abril 2009
Maio 2009
Junho 2009
Julho 2009
Agosto 2009
Setembro 2009
Outubro 2009
Novembro 2009
Dezembro 2009
Janeiro 2010
Abril 2010
Maio 2010
Julho 2010
Maio 2011
Blogs de quem ainda vai
  Being An Entrepreneur In Canada
  Brancas Nuvens
  Chocolate.ca
  British Columbia 2010
  Cravo e Canela
  Do Brasil ao Canadá
  Folha do Canadá
  Jacques Brothers Without Borders
  Moquequinha Canadense
  Os Lima
  Pipoca & Canadá
  Semeando em Terras Canadenses
  Sonho Congelado
  Sonho no Canadá
  Tutu com Goham

Blogs de quem já foi
  A Era do Gelo
  As Invasões Bárbaras
  Au Québec
  CanaDaBoa
  Canadiando
  Conexão Toronto
  Família Faian no Canadá
  Fla Lá no Canadá
  Icebloggus
  QuebeCoisa
  Lá no Canadá
  Nous sommes arrivés Québec
  Paulistanos numa Fria
  Picolé Carioca
  Projeto Maple Leaf
  Sai da Tua Terra
  Ser e Ter
  Simbora pro Canadá
  Tudo ao Mesmo Tempo
  Unzip Canadá
  Vivendo nosso Sonho

Sobre o processo de imigração
  Como imigrar
  Perguntas sobre a imigração
  Canada Immigration Brasil

Sobre a viagem
  American Airlines
    - Viajando com animais
  Air Canada

Sobre imóveis lá
  Craigslist.org
  Sublet.com
  ViewIt.ca

Sobre empregos lá
  Monster
  Monster (Canadá)
  CareerBuilder

Blogs de amigos
  Acordei que Sonhava
  Perplexões
  Daniela e Cristiano

Outros sites
  Dentista em Casa
  Yuki Noda Photography


Powered by Blogger